Estúdio Criativo

Desde quando comecei a trabalhar com o universo criativo, um dos quartos do nosso pequeno apê era também o ateliê. Eu estava exausta do trabalho fora de casa, no caso, em telejornalismo em que trabalhei por quase uma década. Queria o que o trabalho home office me oferecia: horários mais flexíveis, liberdade, aconchego, cuidado com meu lar, minha família. E foi assim por quatro anos. Mas o volume de tarefas foi crescendo, as atividades necessitavam de muitas idas à rua também, o acesso à clientela dos projetos precisava ser mais prático e me vi no meio de um sistema já desorganizado, sem disciplina, trabalhando os três turnos, sem limite e a precariedade começou a bater na porta. Comecei a desenvolver a ideia de voltar a trabalhar fora de casa em um espaço só meu, mas isso era plano pra o próximo ano e olhe lá. Só que eu tento jogar pro mundo muita vibe boa porque sei que ele pode me devolver o mesmo. Dito e certo. Consegui, mais rápido do que imaginava, fazer de uma pequena sala, meu primeiro Estúdio Criativo.

Em sete meses de planejamento, de economia, organização, bastante foco e muita paciência transformei a sala à mão com ajuda de outros profissionais. Compartilhei todas as etapas deste nascimento e foi uma delícia poder contar contigo. Hoje, com pouquinho tempo de vida, este espaço é um dos meus preferidos de todo o mundo :D Tem cor, claro, porque você sabe com gosto disso, mas diferente de outros projetos pessoais é totalmente feminino e delicado. O estúdio reúne inspirações de tudo que sou até agora e de onde passei. Não é um espaço aberto, afinal, aqui é onde produzo durante todo o dia e recebo clientes, mas claro que organizo meu tempo pra receber pessoas queridas. O que faço aqui não é só projetar interiores residenciais, comerciais e móveis. É também meu espaço de estudo, de análise dos próximos passos, os novos projetos que vou desenvolver dentro do meu negócio criativo, onde paro pra uma leitura e um café no meio da tarde e em breve, onde vou promover encontros com grupos pequenos pro debate sobre viver de forma mais criativa.

Nem grande, nem pequena. O bastante. O bastante pra um começo nascido de um negócio feito por mim com ajuda de gente querida. Assim trato os treze metros quadrados que alugo hoje em um prédio no centro dessa cidade do interior aqui da Bahia. É daqui que pretendo continuar falando pra você de onde quer que você esteja. É daqui que continuo trabalhando com o que me faz bem, tentando ajudar o outro na medida em que posso e, claro, compartilhando o que aprendo. Este é mais um lugar de afeto. Entre e fique à vontade.